Canadá vence a final da NBA e o que isso nos diz sobre os canadenses


Chuto dizer que a cultura coletiva corre pelo sangue dos canadenses como maple syrup. Liberdades individuais? Tem no Canadá também. Mas isso não sobrepõe o coletivo. O Canadá é um país jovem, uma nação composta por um conglomerado de outras nações. Passeando pelas ruas se ouve uma infinitude de línguas e se vê uma enorme onda de pessoas que não necessariamente se parecem com você e não vêm do mesmo lugar. O que isso implica? Um tecido social composto pela idéia de que a vida fica mais fácil e justa se colocarmos para trás nossas diferenças e focarmos no que temos em comum.


Então, o que isso tem a ver com basquete e Raptors? Muito. Nas últimas semanas humoristas americanos tiraram sarro da educação, do respeito canadense. Canadenses não conseguiam nem provocar os americanos, daquele jeito de xingar em meio a uma disputa esportiva, o famoso "trash talk". Acho bom. Na verdade, não entendi nem essa provocação dos humoristas direito. Considerei um elogio.


Um fã anônimo canadense mandou flores a Kevin Durant, astro do time adversário que se machucou e ficou fora da final. Pediu desculpas porque alguns fãs do Raptors comemoraram quando ele caiu machucado. Flores! Atitude incrível.


E os Raptors? Único time de basquete canadense na NBA. Na verdade, times de primeira divisão canadenses, nos esportes principais, são poucos. E raramente ganham. Ou nunca mesmo. Mas chegando ao Canadá, você percebe que isso não impede o país de ser fissurado em esportes. Maple Leafs, Canucks, Blue Jays, Raptors... Canadenses param a vida para assistir a jogos e torcer. Piram mesmo. Então, imaginem ganhar uma NBA???


Parabéns a todos os canadenses! Jogos incríveis, emocionantes, e a vitória não só merecida, mas há muito tempo esperada. Grito preso na garganta! Viva este país respeitoso, feliz e pronto pra comemorar de forma unida!